O que diz sua fome?

A briga contra a balança para perder peso não costuma ser fácil. Para ajudar nessa missão, o que não faltam por aí são opções para tentar driblar as dificuldades desse processo. Hoje em dia, contamos com dietas para todos os gostos e até mesmo para todo tipo sanguíneo. Modalidades novas de atividades físicas aparecem a Leia mais… »

A amizade é sublime

Já ouvi dizer que estar num relacionamento amoroso e fazer planos para o futuro com a pessoa amada é mais importante do que compartilhar momentos sem propósitos com amigos. E sobre isso, eu vim aqui para discordar. E antes mesmo que você me aponte o dedo para dizer que eu estou desrespeitando o amor, insisto Leia mais… »

De quem é a responsabilidade?

Já repararam que muitas vezes a gente se pega fazendo ou vivendo algo que é exatamente o contrário daquilo que gostaríamos? E, na maioria das vezes em que percebemos isso, a tendência é sempre dar um nome para o culpado, alguém, o universo que conspira: “Ah, isso só pode ser inveja de ‘fulano’!” Quem nunca? Leia mais… »

O que as novas tecnologias estão fazendo com o homem na atualidade?

O telefone celular ou qualquer outro aparelhinho ligado à internet é, para alguns, um meio de comunicação e, nas horas vagas, também serve para entreter. Para outros ainda, trata-se de um apêndice do corpo. Sim, apêndice, pois deliberadamente levamos e utilizamos o celular em tudo que é lugar, levamos para o banheiro, para a mesa Leia mais… »

Você já sentiu alguma dor física que julgasse ser de “fundo emocional”?

Quando a gente fala sobre qualquer assunto e relaciona com o que a psicanálise diz sobre ele, de fato nos deparamos sempre com uma implicação responsiva da posição em que ocupamos enquanto sujeitos. Com o processo de vivenciar os dramas de uma doença crônica ou transitória não seria diferente. Isso, então, articula a localização do Leia mais… »

Afinal, por que fazer análise?

O paciente de Freud, apesar da conotação passiva que o termo carrega, não é qualquer paciente. Ele é o mesmo analisando de Lacan, ao qual confere ao sujeito em processo analítico sua própria responsabilização e ação de “fazer análise”, assim chamando-o de analisando, este atribuiria ao analista, como função, o lugar daquele que supostamente apreende Leia mais… »