Afinal, por que fazer análise?

O paciente de Freud, apesar da conotação passiva que o termo carrega, não é qualquer paciente. Ele é o mesmo analisando de Lacan, ao qual confere ao sujeito em processo analítico sua própria responsabilização e ação de “fazer análise”, assim chamando-o de analisando, este atribuiria ao analista, como função, o lugar daquele que supostamente apreende Leia mais… »

Em defesa da infância e do brincar

Pouco tempo pra ser criança e a vida inteira para ser adolescente, não é isso que vemos cada vez mais por ai? O fato é que todas as mudanças culturais e sociais que vêm ocorrendo, provocaram alterações expressivas em nossas vidas, inclusive de nossas crianças, fazendo-as abandonarem a infância muito cedo. Por outro lado, a Leia mais… »

O amor é a soma de duas faltas

Já ouviu dizer que o amor nos completa? Já parou pra pensar o que isso de fato significa e o que estaria em falta para que precisasse ser preenchido? Bem, se há o que completar é porque há algo incompleto ou em falta concordam? E se é o amor que completa, ele poderia ser a Leia mais… »

O sofrimento psíquico e a temporalidade

Testemunhamos dia a dia os benefícios de conquistas tecnológicas favorecendo descobertas em vários campos, no campo da medicina hoje contamos com novos medicamentos para o tratamento como câncer, aparelhos de diagnósticos precisos e rápidos, na comunicação vemos a qualidade e diversidade nas ligações telefônicas e o acesso à informações que a internet disponibiliza, os incrementos Leia mais… »

Depressão

Em algum momento de nossas vidas, certamente entraremos em contato com a tristeza, e esta, apesar de ser passageira, é um dos sentimentos humanos mais dolorosos que existe. A tristeza diante do luto pela perda de um ente querido, uma separação amorosa ou até mesmo da perda do emprego, manifesta-se através de um sentimento de Leia mais… »

Quais seriam os limites de um terceiro na educação dos filhos?

Em uma bela tarde de domingo, dia de descanso para a maioria das pessoas, almoçavam pai, mãe, bebê e sua babá. Para uma família tradicional, um dia comum. Para um casal contemporâneo, acostumado ao entretenimento incondicional e ininterrupto das redes sociais e smartphones, uma ótima oportunidade para inverter os papéis. Ficava a cargo da babá, Leia mais… »